quarta-feira, 17 de maio de 2017

A Origem do buteco

A palavra "boteco" é diminutivo de "botequim", que, por sua vez, tem a sua origem na palavra "botica", armazém onde se vendia de tudo um pouco no começo do século passado. Os clientes iam para as boticas, faziam compras e aproveitavam para colocar a conversa em dia. Com o tempo, os proprietários das boticas começaram a servir aos fregueses aperitivos junto com uma bebida. Como muitos bares naquela época não eram tidos como locais para "homens de família", as boticas eram uma alternativa e logo se transformaram em um ponto de encontro, aonde os fregueses iam mesmo quando não precisavam abastecer suas despensas. Muitos botecos guardam essa tradição até hoje.

Os pê-efes vieram depois, a partir da década de 50, e popularizaram os botequins, de acordo com a antropó- loga Janine Collaço, pesquisadora do Núcleo de Antropologia Urbana da Universidade de São Paulo. O Brasil começava a se urbanizar e a se industrializar, e os operários e operárias precisavam de uma comida rápida, barata e caseira. Foram para o botequim. Por isso é que o picadinho e o bife a cavalo, entre outros pratos, ficaram associados aos botecos.

Esse tipo de estabelecimento, que oferece comidinhas rápidas e baratas, não foi inventado no Brasil. Uma das atrações da Espanha, por exemplo, são as casas de tapas, onde os clientes se reúnem no balcão e consomem fartas porções de presunto cru, camarões, queijos e torradas, muitas vezes acompanhados de sangria. Na Inglaterra, serve-se a comida de pub (pub grub). Uma das mais tradicionais é a cottage pie, torta caipira feita com carne moída e cobertura de purê de batatas. Na França, há os bistrôs, que oferecem o prato do dia (plat du jour) junto com uma taça de vinho. E, é claro, tem os cafés, espa- lhados em cada esquina e transformados em uma verdadeira instituição da cidade. Em comum com os botecos brasileiros estão a bebida. Que é o mais importante, lógico.

Nenhum comentário: