segunda-feira, 3 de abril de 2017

Fica a dica

Dona de brechó de luxo explica como as clientes podem adquirir a perfeita ‘compra-investimento’ 
O salto, de repente, pode ser diminuído

Comprar em brechós tem inúmeras vantagens: preços competitivos, peças exclusivas, incentivo à moda sustentável. E o protagonista dessa cadeia produtiva, o consumidor, sai ainda mais no lucro quando adquire um produto pelo qual pagou um valor justo e não vai se arrepender mais pra frente. Por isso, é bom prestar atenção em dicas dadas por quem tem experiência de anos no negócio, a (o) dona (o).


Yana Bastos, proprietária do brechó de luxo Choose Vintage, há 6 anos no mesmo endereço no Sudoeste (Brasília, DF), destaca que todas as mercadorias passam por rigoroso controle de qualidade - quando é checado se as peças apresentam defeitos e, o mais importante, se são produtos originais -, até serem colocadas à venda.

"Conhecemos bem as características das peças originais, como números de série de bolsas, acabamentos e forros. Explicamos às clientes quais são esses detalhes. Elas devem colaborar dando prioridade na compra em lojas que só aceitam mercadorias legítimas. Trabalhar com produtos falsificados é um crime", afirma a empresária.

A dona do brechó Choose Vintage ajuda as clientes a identificar o que veste melhor para cada biótipo, para que aquela aquisição se torne uma ‘compra-investimento’, servindo, por exemplo, para todas as estações do ano, ou ainda para qualquer ocasião.

“Quando a cliente chega procuramos saber que tipo de peça ela está procurando, mais conservadora ou descolada. Vamos direcionando de acordo com o estilo de cada uma. Sempre orientamos que elas vistam as roupas, que não comprem sem antes experimentar, pois são peças únicas. No cabide podem parecer grandes ou pequenas para o corpo, e quando provam se mostram adequadas, ou de repente não era bem aquilo que elas esperavam. Olhar no espelho de todos os ângulos possíveis, checar os detalhes, é muito importante”, recomenda Yana Bastos, acrescentando que, caso a cliente se interesse por comprar a roupa mesmo que ela tenha ficado um pouquinho ‘folgada’, comprida, e precise de simples ajustes, ela indica uma costureira.

“O mesmo faço com sapatos. Se for um detalhe, como um salto um pouco mais alto que a cliente queira diminuir, indico um sapateiro. Também dou consultoria de moda, sem que a cliente pague por isso, para que ela saia ainda mais satisfeita com nosso atendimento e sempre retorne, colaborando com essa cadeia sustentável”, complementa.

Nenhum comentário: