quarta-feira, 20 de julho de 2016

Idosa quebra tabus e faz tatuagem aos 90 anos

Thaméa Dias imortalizou o amor e carinho pelos doze netos e bisnetos com desenho na panturrilha
Nunca é tarde demais para fazer o que você ama. Pelo menos garantem estudiosos do comportamento humano. E foi isso que a aposentada Thaméa Dias Asensi fez. Prestes a completar 90 anos, a idade, o medo da dor e de agulhas de máquinas de tatuagem nem de longe assustaram a idosa que, para comemorar quase um século de vida, escolheu o estúdio do conceituado tatuador Rogélio Paz, na Asa Sul, para imortalizar o sentimento de amor e carinho pelos seis netos e seis bisnetos.

Acompanhada de uma das netas, Adriana, que mostrava-se extremamente nervosa em relação a Thaméa, e contou que quase desistiu no meio do procedimento por não suportar a dor da agulha – ela escreveu o nome da avó em um dos braços – a avó estava tranquila e firme, características dignas da idade e da experiência desde a chegada ao estúdio.

“O objetivo dela era homenagear os netos e bisnetos, 12 no total. Ela estava bem calma, ajudou a escolher o desenho, a frase, pouco tempo depois, com tudo decidido, deitou na maca e iniciamos o procedimento, um dos mais tranquilos que já realizei”, contou o tatuador Rogélio.
Thaméa tatuou na panturrilha direita a frase ‘Meus 12 amores’, além de três rosas, na vertical. Sem reclamar, passou todo o procedimento tranquila. A neta Adriana logo classificou a avó: ‘ela é macho demais’, brincou referindo-se a resistência à dor provocada pela agulha da tatuagem.

A primeira tatuagem de Thaméa foi quando ela completou 80 anos de idade. Foram três borboletas, que ela fez em Manaus (AM).

“Tatuagem tem idade para começar a fazer, mas não tem idade limite”, brincou o tatuador Rogélio Paz.

O que diz a lei:
A lei que vigora no Distrito Federal acerca de tatuagens em menores de 18 anos de idade, a número 1581, de 1997, explica que somente pais ou responsáveis devem dar autorização, por escrita, para a realização do desenho na pele do menor. Essa autorização deve ficar arquivada com o tatuador até o menor completar dezoito anos de idade. O descumprimento da lei pode gerar multa ao infrator de pelo menos R$ 2 mil.

“Muitos adolescentes não tem noção de que uma tatuagem é algo para sempre. Se não gostarem, por exemplo, há formas de cobrir os desenhos ou mesmo remove-los, mas esta não deve ser uma alternativa ao decidir fazer uma tatuagem. Por isso respeitamos severamente as normas da lei, como higiene, local adequado. Sempre antes de imortalizar um desenho na pele é necessário acima de tudo ter certeza do que se quer, sem idade limite. Afinal, nunca se é ‘velho’ demais para fazer nada, muito menos uma tatuagem”, declarou o experiente tatuador.


Fotos: (arquivos pessoais de Thaméa Dias e de Rogélio Paz) / crédito obrigatório: Aos 90 anos, Thaméa superou tabus e preconceitos pelo amor a família: desenho imortalizado na pele

Nenhum comentário: