segunda-feira, 30 de maio de 2016

Milton Nascimento estrela em trilha sonora ao lado do multi-instrumentista Patrick de Jongh

Tão importante quanto outros setores da sétima arte, a trilha sonora conduz a emoção do filme, basta ouvi-la para se emocionar e recordar uma cena ou personagem marcante na produção. Por isso, cada trilha é pensada nos mínimos detalhes e participações acrescentam ainda mais neste seguimento.
Pensando nisso, o multi-instrumentista Patrick de Jongh, responsável pela trilha de O Outro Lado do Paraíso convidou o incansável Milton Nascimento para participar de seu trabalho.
O filme tem direção assinada por André Ristum (Meu País), e estreia no dia 2 de junho nos cinemas de todo o Brasil.

“O Milton Nascimento é um ídolo, não só meu, mas também do meu pai e de várias gerações de músicos. Ele me apresentou a música de Milton quando eu ainda era criança e acredito que ela se fixou no meu DNA (risos)”, conta o músico Patrick de Jongh.

Milton aceitou fazer parte da trilha e no início de abril de 2015, os músicos se reuniram no Rio de Janeiro para iniciar os trabalhos. “Foram três dias de trabalho intenso com ele e mais 4 semanas gravando e mixando o restante do material do filme. O processo de trabalho ocorreu da forma mais leve e bem humorada possível. O Milton foi muito generoso comigo, elogiou meu trabalho e teve uma disponibilidade para a experimentação impressionante”, destaca Patrick.

O encontro resultou na gravação de uma música inédita, tema do filme, intitulada de Ventos Irmãos, que ganhou vida por meio da inconfundível voz de Milton. O cantor também fez diversos vocalizes para a sonoridade do longa, e juntos, os músicos regravaram a clássica faixa Clube da Esquina II, de Milton mesclando os arranjos originais com novos feitos especialmente para o filme.

“Passei alguns dias escutando toda a discografia dele e analisando sua arquitetura composicional pra fazer algo que harmonizasse com ele. Então escrevi a canção de encerramento e alguns vocalizes. Deixei espaço para ele fazer improvisos, que aliás, são de arrepiar”, recorda o multi-instrumentista. A trilha sonora recebeu menção especial do júri no Festival de Triseste, na Itália, em 2015.

Baseado no livro O Outro Lado do Paraíso, de Luiz Fernando Emediato, o filme tem sua trama narrada sob a ótica de Nando, um menino de 11 anos (vivido por Davi Galdeano). Ele relata as aventuras do pai, Antônio (Eduardo Moscovis), um brasileiro sonhador e aventureiro de 37 anos que nunca teve um emprego fixo, vive viajando por garimpos e sonha com a “terra prometida”. Um dia, resolve ir para Brasília, que está sendo construída, atraído pelas promessas de reformas do governo de João Goulart. Mas logo vem o Golpe de 64 e os sonhos se tornam pesadelo de uma hora para outra. A aventura épica de um pai Quixote é vista pelos olhos do filho, numa mistura de admiração, amor, dor, orgulho e tristeza. O filme é a maior produção cinematográfica já realizada em Brasília.

Nenhum comentário: