quarta-feira, 20 de abril de 2016

Conheça a lipoaspiração facial, procedimento que acaba com a papada

Cirurgia corrige os contornos do rosto e o deixa com o aspecto até dez anos mais jovem.
A evolução da medicina juntamente com as novas tecnologias disponíveis no mercado tornou possível a realização de procedimentos estéticos menos dolorosos e mais rápidos e eficazes em partes do corpo super delicadas, como, por exemplo, a face.

As gordurinhas indesejáveis que se acumulam com o tempo no rosto agora têm um tratamento específico para que sejam exterminadas: a lipoaspiração facial.

“O objetivo desse procedimento estético é alterar a distribuição da gordura na face e corrigir o contorno do rosto. Para isso, são feitas pequenas lipoaspirações das áreas com maior concentração de gordura. Logo após, é feita uma redistribuição dessa gordura nas depressões do rosto, da mesma forma que é feita em uma lipoescultura”, explica resumidamente o processo o 
Dr. Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico da Clínica Michelangelo, de Curitiba – PR.

O processo é feito por meio de cânulas muito pequenas que alcançam locais distantes, garantindo que a lipoaspiração facial deixe cicatrizes praticamente imperceptíveis e não traga maiores riscos para a saúde. “A anestesia pode ser local ou geral, e em cerca de meia hora ou uma hora é possível retirar a papada, por exemplo. O paciente tem a alta no mesmo dia ou logo no dia seguinte, sem maiores complicações”, comenta Pacheco.

O procedimento normalmente é realizado por pacientes na faixa dos 45 anos, já que pode resultar em uma aparência de até dez anos mais jovem. O resultado ainda pode ser melhorado com a associação de outros procedimentos, como o lifting cérvico-facial, que corrige a flacidez.

“Porém, mesmo com o procedimento sendo rápido, o pós-operatório requer bastante atenção. O paciente deve ficar em repouso e passar por uma drenagem. Além disso, é preciso manter um curativo durante 24 horas no local da incisão”, exalta o médico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). As atividades do cotidiano devem ser retomadas após cerca de oito a 12 dias após o procedimento.

Outros cuidados que devem ser tomados são o uso da faixa elástica cirúrgica nas primeiras semanas e a elevação do queixo durante o dia. Ambas colaboram para a aderência da pele à musculatura e para a diminuição do inchaço, que costuma desaparecer dentro de quatro semanas.




Serviço:
Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)
Cirurgião Plástico
Rua Augusto Stellfed, 2.176, Champanhat