sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Decorando quartos: tendências x personalidade

“Não existe uma fórmula pronta”, é o que afirma o arquiteto Elon Pfeiffer Flores, ao ser questionado sobre as principais tendências para decoração de quartos em 2016. O profissional, especializado em retrofit e interiores e com um dos mais ricos portfólios do mercado, destaca que a decoração de um espaço tão íntimo e pessoal vai depender de diversos fatores, como tamanho, preferências de seus usuários e ainda elementos como cores e funcionalidades do espaço.
Segundo Elon, “conhecer as pessoas para quem você está projetando é fundamental, pois cada cliente (solteiro, casal, família) tem seus hábitos e preferências, e são nessas informações que devemos nos debruçar para elaborar um projeto adequado que encante a cada um dos integrantes da casa”. A medida, de acordo com o profissional, vai garantir personalidade e identificação com o ambiente, o que torna o projeto um sucesso.

Após a etapa de elaboração de um projeto, que seja adequado ao seu usuário, é hora de pensar em elementos que tornem o espaço um local convidativo para sua função: relaxamento e descanso. Para o arquiteto, as cores neutras são ideais para o espaço. Outra dica do profissional é “investir em peças de arte, como quadros e esculturas com cores que façam contraste com o restante do ambiente”.

Quando o assunto é revestimentos, o arquiteto aponta os tridimensionais como uma aposta de sucesso, uma vez que vão “influir e contrastar com a iluminação projetada, deixando o quarto único e com a personalidade do cliente”. O alerta fica por conta da extensão desses materiais, “para não correr o risco de “pesar” o espaço. O arquiteto ensina que em um detalhe de cabeceira ou na entrada do quarto, é sempre válido.

Em alta
A designer de interiores 
Susana Salles Brancaglion, destaque na cidade com projeto de quarto na IV Mostra Atlas Colchões, ressalta que a utilização de materiais que são ou imitam os revestimentos naturais encontrados em antigas instalações imobiliárias, como galpões, prédios industriais e comerciais estão em evidência na hora de decorar o quarto. A dica da profissional é investir nesses elementos, com “cara” de antigo, juntamente com as cores mais neutras e vivas para ressaltar e evidenciar a personalidade do usuário e do espaço. “Esse contraste vai garantir um clima mais atual e moderno”, afirma Susana, que aponta ainda os tecidos naturais e frescos, como linho e algodão como tendências “para vestir o ambiente dando um clima mais acolhedor e despojado, que é a grande marca de 2016”.