segunda-feira, 20 de abril de 2015

Musical Tarzan será apresentado em Goiânia

Musical infantil de Luiz Roberto Pinheiro chega a capital. O espetáculo faz uma releitura da história do bebê que é criado por gorilas
O musical infantil Tarzan, dirigido por Luiz Roberto Pinheiro, chega a Goiânia e traz uma nova versão da historia no menino que foi criado por gorilas. A apresentação acontece no dia 26 de abril, às 16h no Teatro Madre Esperança Garrido. As crianças e adultos podem esperar uma linda história de amor, superação e respeito ao próximo.

Na história contada por Luiz Roberto Pinheiro, um recém casal de aristocratas ingleses resolve fazer um passeio de avião, para comemorar o primeiro mês de nascimento do filho. Durante essa deliciosa aventura, acontece o inesperado: uma pane no avião; e ele cai dentro da mata. O casal tem morte instantânea, enquanto que o bebê, por ironia do destino, se salva, e os macacos o encontra.

Kala (Jéssica Sodré), a matriarca dos gorilas, leva o bebê para criá-lo como se fosse seu próprio filho, apesar da desaprovação de seu companheiro Kerchak (Douglas de Paula). Kala coloca o nome da criança humana de “Tarzan” que significa "Pele Branca".

A vida pacífica dos gorilas é interrompida pela chegada de uma equipe de exploradores humanos, da Inglaterra, consistindo de Dr. Arquimedes (Marcos Paulo) e sua filha Jane (Cristhyanne Cabral), além do caça-guia Clayton, (Bruno Peixoto) juntamente com o seu comparsa Glaucon (Alírio Gomes). Eles que fingem ser estudiosos, na verdade, querem é capturar os gorilas, e montar um grande circo em Las Vegas.

Eles desembarcam na selva ainda de madrugada, e esperam amanhecer pra começarem os estudos dos gorilas. Enquanto não amanhece, Jane, resolve ir procurar lenhas dentro da selva, para fazer uma fogueira. E nessa busca, Jane acaba se perdendo no meio da mata e fica apavorada. E é neste momento de desespero, que as coisas pioram ainda mais, com a apariçãode um enorme Tigre na sua frente.

Neste momento, Tarzan (Caíque Vinicios) aparece, luta com o tigre até derrotá-lo. Jane o agradece, e Tarzan percebe que ela é o mesmo que ele: um ser humano. Tarzan fica encantado com a moça, quando ela pede sua ajuda mais uma vez. Quer que ele a leve até onde esteja o seu povo. Ele atende o apelo da moça, e depois disso, Tarzan continua voltando ao acampamento, e sua aproximação com a linda moça, faz com que eles comecem a se apaixonar.

Clayton convence Tarzan, que se ele mostrar o grupo dos gorilas, então Jane vai ficar com ele para sempre. Tarzan cai na conversa do vilão e leva todos pra conhecer a casa da tropa de gorilas.




Clayton e seu comparsa Glaucon, aproveitam da situação, e prendem os gorilas para levá-los pra o circo. Dr. Arquimedes e sua filha Jane, percebem que os dois bandidos, os enganaram, se passando por bonzinhos.



Neste momento, Kercshak chega pra tentar salvar os seus amigos prisioneiros, e aí os vilões acionam um canhão, e Kerchaki é atingido no peito. Tarzan vai para o lado de Kerchak e pede o seu perdão. Kerchak então, chama Tarzan de “filho” pela a primeira vez e logo em seguida, morre.




No dia seguinte, Tarzan revela que ele agora, planeja ficar com a tropa de gorila para continuar a sua missão de proteger a sua tribo.




Um ano se passa, e quando Dr. Arquimedes volta pra visitar a filha que deixou casada com Tarzan, descobre que vai ser avô. E neste momento de grande alegria, Dr. Arquimedes atende o apelo da filha, e passa a viver também na selva. Então, todos juntos construíram um novo lar, uma nova família. E viveram felizes para sempre.



Moral da história



Quando a matriarca Kalla, adota a criança, logo de cara, já esbarra com o patriarca da família que rejeita o bebê, por não suportar os humanos, que tanto destrói as matas, os bichos, além de poluir a água do planeta. Tamanha é a sua ira, que ele não consegue enxergar que Tarzan é apenas uma criança indefesa, perdida sozinha na selva. Depois de rejeitar Tarzan por mais de 20 anos, por um puro preconceito, Kerchalk antes de morrer, percebe o erro que cometeu, e o chama de “filho”. “É uma cena muito emocionante. Tenho certeza que vai tocar o coração do expectador”, diz o diretor, com muito entusiasmo.



O Texto mostra claramente que é possível viver com as diferenças, afinal elas existem, e devemos aprender a lidar com elas. Temos que fazer a nossa parte respeitando as pessoas, independente da cor, do credo, dos hábitos e da classe social. Mesmo que sejamos uma gota no meio do oceano.



Pergunta - O que as crianças vão ver de legal, no espetáculo?



Resposta – Luis Roberto Pinheiro: Eu sempre observei durante os meus vinte anos de carreira, que os adultos saem encantados com o espetáculo que assiste, assim como as crianças. Por isso, sempre sou muito atento nessa linguagem teatral que escolhi que é primeiramente, antes de qualquer coisa, perceber que a criança é inteligente, sabe das coisas e absorva os mais impossíveis detalhes. Portanto, tem que ser um texto no qual a criança compreende, goste e perceba, o quanto é respeitada. Ao mesmo tempo, os adultos também embarcam neste faz-de-conta sem qualquer tipo de preconceito. Eu acho isso maravilhoso.



Neste musical, eu coloquei em cena tudo que é necessário pra que o resultado seja de alta qualidade. Fiz uma mistura cenográfica entre telões virtuais, animações gráficas e telões cenográficos com profundidade, que foram pintados, com efeitos tridimensionais. Logo no Inicio do espetáculo, existe uma cena onde animais da selva transitam em cena e logo em seguida, muitas borboletas coloridas e gigantes, voam por todo o palco, em um efeito visual feito no escuro, com apenas luzes fluorescentes.



Mas na frente, existe outra cena que é usado o mesmo recurso. Um tigre enorme é manipulado em cena por nove pessoas. Ele desmonta de um lado, e monta do outro, dando um efeito bem bonito e surpreendente. A delicadeza do figurino e a maquiagem dos macacos concebida e executada por Leleko Diaz incrementam a beleza cênica do musical.



Aparece ainda um mini jeep safari, e no fundo há uma animação gráfica, dando a impressão de que o carrinho está correndo pelo palco. A direção é ágil, sem espaços para improvisos, e o elenco foi criteriosamente selecionado. Na trupe atores como Bruno Peixoto, Marcos Paulo, Alirio Gomes, Cristhyanne Cabral, além do estreante Caíque Vinicios, defendem os seus personagens com muita garra e talento.



Nega Jú, uma eximia bailarina e coreografa de dança afro, baiana e residente há muitos anos em Goiânia, fez um delicioso trabalho de corpo com os atores, além de Ana Gabriela Torres que com muita criatividade, criou as coreografias do musical infantil.



Os cenários virtuais de Paulino Pessoa são recheados de efeitos especiais, como uma cachoeira que tem movimentação da queda da água, assim como pássaros, relógio cuco com movimentos, e um monte de outras surpresas, num colorido deslumbrante. Tudo isso feito com projetores de altíssima resolução de imagens, para que a magia do faz de conta, seja o mais real possível.



Serviço:



Espetáculo Tarzan

Gênero: Musical infantil

Duração: 60 Minutos

Quando: 26 de abril

Horário: 16 Horas

Onde: Teatro Madre Esperança Garrido. Avenida Contorno, 241 - Setor Central

Preço: R$ 70,00 (inteira) R$ 35,00 (meia entrada)



Informações: (62) 3223-1328