sexta-feira, 13 de março de 2015

Procedimentos estéticos não invasivos conquistam cada vez mais adeptos

Com a possibilidade de aperfeiçoar a estética sem passar pelo bisturi, técnicas como o Botox, Silhouete e a Bioplastia ganham espaço. 
O tempo passa e, com ele, aparecem as marcas da idade. Prova disso é o aparecimento das rugas e linhas de expressão e a queda da pele, que, apesar de variarem muito de pessoa para pessoa, são inevitáveis. Podendo surgir em diferentes idades e áreas do rosto, já que os movimentos faciais repetitivos se diferem em cada um, elas são mais comuns depois dos 30 anos de idade na região da testa, glabela (entre as sobrancelhas) e pés de galinha.

“Para manter a pele saudável é preciso começar a cuidar dela desde cedo, utilizando filtros solares e hidratantes. Mas nem sempre isso é o suficiente para que o aspecto jovial seja mantido, afinal, o tempo passa para todos”, comenta o
Dr. Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico da Clínica Michelangelo, de Curitiba, PR.

Para aqueles que se incomodam com o aspecto da face ao adquirirem as rugas e demais marcas de expressão, já é possível tratá-las por meio de cirurgias plásticas e procedimentos estéticos não invasivos, que, quando bem feitos, servem de grande auxílio no rejuvenescimento facial.

“Percebo que os procedimentos não invasivos ganham cada vez mais adeptos, afinal, ao optar por essas soluções, o paciente não precisa passar pelo bisturi e enfrentar as anestesias. Porém sempre lembro que os procedimentos, invasivos ou não, devem sempre ser feitos por um especialista – afinal, basta um pequeno errinho para o resultado final não sair como o desejado”, comenta Pacheco.

Dois procedimentos não invasivos que fazem cada vez mais sucesso são a aplicação do Botox e a Bioplastia (ou preenchimento facial)l:

O Botox minimiza as rugas e linhas de expressão em aplicações que duram em torno de 10 a 15 minutos e não requerem repouso nem tempo para recuperação. Os efeitos das aplicações são totalmente observados em uma semana e chegam a durar até seis meses. “Os principais riscos na aplicação da toxina botulínica são o exagero na dosagem e a aplicação em regiões erradas, que podem resultar em assimetria, isto é, um lado do rosto ficar diferente do outro”, ressalta.

Já a bioplastia é uma técnica de preenchimento em que o médico especialista aplica materiais específicos sobre a pele para modificar a região tratada.

Há dois tipos de material a ser aplicado o absorvível e o não absorvível, portanto se é a primeira vez que você vai fazer um preenchimento experimente fazê-lo com uma substância que seja absorvível para ter certeza do resultado desejado, assim evita-se complicações.

“Dependendo do local do preenchimento assim como da vontade da paciente juntamente com o aval médico, a bioplastia pode amenizar rugas, sulcos, mudar a forma do nariz e o volume dos lábios e queixos sem cortes ou suturas, afinal, trata-se de um procedimento não invasivo”, lembra o cirurgião.

Porém, independentemente do procedimento escolhido, Pacheco exalta que o mais importante de tudo é conhecer o profissional que irá realizar a intervenção, afinal, nessas horas o barato pode sair caro. “Fazer qualquer tipo de procedimento que envolva o corpo/face com alguém que não possua experiência para isso é um grande risco para a saúde. Por isso, nessas horas vale a pena pesquisar e pagar um pouco mais, se preciso, para evitar complicações futuras. Opte sempre por um médico o qual você confia”, conclui, além do mais "cirurgia plástica é com cirurgião plástico".



Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)
Cirurgião Plástico
http://www.alplastica.com
http://www.michelangeloclinica.com.br
Curitiba/PR.