quarta-feira, 18 de março de 2015

Homens são tão sentimentais quanto mulheres, segundo estudo

Ao contrário do que se pode pensar, homens têm tantas inseguranças e sentimentos quanto mulheres. 
Muitos homens dizem que as mulheres são difíceis de entender, que é impossível lhes deixar felizes e saber como elas devem ser tratadas. Entretanto, com um pouco de jogo de cintura, respeito e compreensão, é possível agradar a sua parceira de maneira satisfatória.
Mas, e os homens? Um grande número de pessoas, homens ou mulheres, tendem a pensar que, para um indivíduo do sexo masculino, é muito menos comum ficar inseguro quanto ao seu corpo, e que o ato sexual vem acima de tudo na relação, mas, será que isso é verdade?

Segundo a psicóloga clínica e hospitalar voltada a saúde do homem, Carla Ribeiro, as respostas são menos óbvias do que se pode pensar. 
“No imaginário popular, existe o conceito de que homens são máquinas de fazer sexo sem um pingo de sentimentalidade. Entretanto, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Kinsley, sugere que interações sem intenções sexuais, como dormir de conchinha e beijar tem mais importância para os homens do que para as mulheres”, afirma.

Além disso, Carla, que atua no Rio de Janeiro, explica que os homens são, sim, críticos quanto ao seu próprio corpo quase na mesma medida que as mulheres. 
“Uma pesquisa realizada em 2014 revelou que 30% dos britânicos relataram se sentir infelizes com seus corpos, quase a mesma porcentagem das mulheres: 35%. Apesar de não aparentar, eles têm inseguranças como qualquer um”, comenta. Ela também fala que a mesma pesquisa, encomendada pela loja “New Look”, mostra que 23% dos homens estão insatisfeitos com o tamanho dos seus pênis, sendo que um quarto dos indivíduos na faixa dos 20 anos preferem ter relações sexuais com as luzes apagadas.

A psicóloga complementa, dizendo que o antigo bordão 
“Os homens são de Marte, e as mulheres são de Vênus” é apenas uma invenção, já que ambos os sexos têm suas inseguranças, desejos e sentimentos. “Sexo envolve muitas emoções, tanto para o homem, quanto para a mulher, e, por isso, é preciso levar em conta o que cada uma das partes pensa sobre o assunto”, conclui.



Serviço:
Carla Ribeiro
Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem
E-mail: caribeiro.psi@gmail.com
Celular:(21) 9.9908-1834 
Rio de Janeiro - RJ