quinta-feira, 12 de junho de 2014

Seus ouvidos estão preparados para a Copa do Mundo?

Atenção: permanecer durante horas seguidas ouvindo barulhos muito altos pode trazer danos irreversíveis para a audição. 

A Copa do Mundo está aí. Dia doze de junho começa o maior evento do mundo, que tem a duração de quase um mês traz, junto com os vários turistas e jogos emocionantes, vários ruídos altos – mais altos do que os ouvidos aguentam de maneira saudável.

Apitos, gritos, televisões em volumes máximos, fogos de artifícios e música alta são só alguns dos ruídos que serão ouvidos durante esse período de tempo – e quem mais sofre com isso, acredite, são os ouvidos.

Segundo dados da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF), o ouvido humano suporta até 85 decibéis, mas, sem perceber, os torcedores estão expostos a sons bem mais altos que o recomendado – podendo a chegar a até 120 decibéis, barulho correspondente à de uma turbina de um avião. 
“Porém, durante o momento da ‘emoção’, o torcedor nem percebe o que está acontecendo – e, muitas vezes, retorna para a sua casa com zumbido no ouvido ou demais problemas auditivos, e acha que isso é normal: não é,” ressalta a Dra. Rita de Cássia Cassou Guimarães, otorrinolaringologista e otoneurologista, de Curitiba.

Devido a intensidade do barulho nessa época, as pessoas que frequentam os estádios podem desenvolver sérios problemas auditivos. 
“E quando é dito que é sério, é porque é sério mesmo: a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera a poluição sonora a terceira maior do meio ambiente, perdendo apenas para a poluição da água e do ar, por isso, os cuidados com a audição são tão importantes,” comenta a especialista.

Os principais fatores que influenciam nos problemas auditivos causados devido ao excesso de ruídos é o tempo de exposição ao som e a sensibilidade individual de cada pessoa. Por isso, para aqueles que querem aproveitar a Copa ainda assim evitar problemas auditivos, existem algumas orientações que devem ser seguidas. 
“Ficar o mais distante possível da fonte sonora e usar protetores bons auriculares, que diminuem o impacto do barulho nos ouvidos, podem ajudar”, explica Rita.

O barulho muito alto é um dos agentes mais nocivos à saúde humana, causando desde a perda da audição, até zumbidos, distúrbios do labirinto, ansiedade, nervosismo, hipertensão arterial, gastrites, úlceras e, em alguns casos, impotência sexual. 
“Saber da importância da audição e de como mantê-la em dia se torna ainda mais importante nessa época. O ‘poder’ de ouvir provoca uma melhor interação do indivíduo com o meio ambiente e, consequentemente, com quem está próximo”, comenta Rita.

A exposição prolongada ao som alto por muito tempo seguido pode levar a diversos graus de surdez. No Brasil, é estimado que 15 milhões de pessoas já sofrem algum tipo de perda auditiva. 
“Portanto, é necessário cuidar da audição nessa época do ano a fim de proteger os seus ouvidos. Fique atento ao tempo de exposição ao som alto: o ideal é fazer uma pausa de 10 minutos a cada hora de barulho intenso. Tomando esses cuidados, é só aproveitar”, conclui a especialista.




Dra. Rita de Cássia Cassou Guimarães (CRM 9009)
Rua Fernando Simas, n° 705, nas Mercês, quarto andar, salas 41 e 42, 
Otorrinolaringologista, otoneurologista, mestre em clínica cirúrgica pela UFPR
Blog: http://canaldoouvido.blogspot.com
Fan Page: https://www.facebook.com/canaldoouvido?ref=hl
Email: ritaguimaraescwb@gmail.com
(41) 3225-1665
Curitiba PR.