sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Saiba mais sobre a mentoplastia, cirurgia de aumento do queixo


Com o objetivo de rejuvenescer e restaurar o contorno e a proporção da face, a cirurgia pode ser feita com o auxílio de um implante de silicone ou com o avanço do próprio osso do queixo.
O mento, (ou queixo), assim como o nariz, é parte fundamental para a formação do perfil da face, e, por isso, se torna um aspecto muito importante para a estética do rosto. Não é raro encontrar casos em que existam alterações de posicionamento do mento, como o seu avanço ou retração, - e, a segunda opção, além de mexer diretamente com o queixo, passa a impressão do nariz ser maior do que realmente é. Para tratar dessa questão, que pode abalar a autoestima de muitas pessoas, surgem as cirurgias que visam alterar o perfil da face, atuando no nariz e no mento - conhecidas como perfiloplastias.

A mentoplastia mais comum é aquela que visa corrigir o posicionamento do queixo, e isso é feito por meio da inclusão de uma peça de silicone, geralmente pré-moldada. 
“Porém, existem casos em que a mandíbula está em retração completa e esse procedimento não é o suficiente. Para esses pacientes, existem cirurgias mais complexas, que exigem remodelações e avanços ósseos,” explica o Dr. Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico da Clínica Michelangelo, de Curitiba – PR.

Além de melhorar o perfil, a mentoplastia ajuda a rejuvenescer e restaurar o contorno e a proporção da face – e, quando se deseja obter melhores resultados com cirurgia de aumento do queixo, ela pode ser feita em conjunto com outros procedimentos faciais, como a rinoplastia, por exemplo, que ajuda a criar uma maior harmonia na face.

Porém, antes de tomar qualquer decisão, é preciso fazer uma consulta médica, em que o profissional avaliará as proporções faciais do paciente para determinar qual a melhor solução para cada caso. 
“A mentoplastia é ideal para tornar o rosto mais proporcional e melhorar a autoestima das pessoas sem que a aparência delas seja mudada radicalmente”, comenta Pacheco.

A consulta inicial envolve uma rigorosa avaliação de saúde, a medição das proporções faciais, do esqueleto facial e tecidos moles, e a discussão das expectativas do paciente. Todos esses fatores são fundamentais para o resultado positivo da cirurgia. 
“Antes de qualquer procedimento, o cirurgião deve fazer uma avaliação com o paciente, e ele precisa expressar claramente suas expectativas e dúvidas sobre o processo. Dessa forma, o especialista irá ajudá-lo a determinar qual é a melhor solução e o que é possível alcançar com as técnicas atuais” explica o cirurigião.

O procedimento normalmente é realizado sob anestesia local e a duração da cirurgia, quando realizada isoladamente, é de cerca de 30 minutos. A alta é prevista para o mesmo dia e a cicatriz deixada pela cirurgia é, na maioria das vezes, quase imperceptível e se localiza logo abaixo do queixo. Pacheco lembra que os resultados definitivos aparecem em torno de 12 a 18 meses após a cirurgia.


Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)
Cirurgião Plástico